terça-feira, 7 de abril de 2009

Até um dia...

Chegado a este dia, as tradicionais despedidas.
Um jantar, a celebrar e relembrar o primeiro dia que nos conhecemos, lá no 2º piso, na sala 12, ao fundo.
“Ora vamos lá começar: eu sou, moro e faço. De seguida a colaboradora vai se identificar e relembrar a minha apresentação; e assim consecutivamente…”, um teste que de facto resulta… Na sessão seguinte todos memorizamos os nomes uns dos outros.
“Vai ser no Benjamin (pub): entradas, um prato de peixe, um prato de carne, líquidos, sobremesa, café, …” e por sufrágio universal, com a ajuda dos pauzinhos elegemos, de entre o variado leque de opções: entradas representadas por rissóis, jaquinzinhos fritos (faltava o arroz de tomate) e linguiça assada; no prato do peixe, o nórdico bacalhau na brasa a nadar em azeite e alho, com migas; bifinho de vitela á casa, aconchegados com molho de natas, batatas e arroz cenoura; líquidos, jarro de tinto da casa (se era bom), verde de pressão, água, chá gelado de manga, Coca-Cola (™), sumo de fruta; sobremesas, doce de amêndoa (caseirinho, hummm, miammm), salada de fruta, pudim, e o tradicional doce da casa (segredo bem guardado pelos grandes mestres culinários); para o remate o acamado café, bica ou simbalino (conforme o local onde se encontre).
Trocamos mais do que dois dedos de conversa, aberta entre as fotos dos familiares, cartão do Cidadão e carta de Condução, desejando um próximo encontro para bem breve… e como diria esse grande poeta literato camionista Gonçalves: “…So long…”

Sem comentários: