terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Crise de crise!

12 passam das 7! O despertador, berra caracteristicamente o inicio de uma manhã, talvez normal! Que crise de sono! 
Uma pancada seca sobre o incomodo. Mais 2 minutos de dormitar!
Fuck! Adormeci... Não há crise! Apressar os herdeiros, já característico, ... leite, torradas, cereais, sumo de tangerina ... Absorção de petit-déjeuner, antes que haja uma crise de energia matinal!
Apesar da crise dos transportes escolares, os miúdos estão á porta da escola!
Chego ao trabalho: "bom dia!" Com um aperto de mão! Falam de crises antigas disto, e daquilo, e até da crise da cachola do Leovigildo, que bebeu até não haver amanhã, copos de vinho tinto pela passagem de ano...
O expediente é resolvido entre crises de provisão económica, e crises nervosas de hierarquia de organigrama! 
Bem! Pego em duas agulhas longas, dessa bela arte de palrar ... Tenho uma ponta solta na camisola, ... Um cliente conta-me a crise que atravessa, bla bla bla... E eu vou desfiando a camisola: a mãe, diz que a avó era tecedeira; herdei geneticamente o dom. Com isto tudo, de ouvir em confissão um cliente, ja fiz meia camisola! "Sim! Pois! Claro! Exacto!"
O patrão clama citações jornalísticas do matinal, sobre a crise que o país atravessa! 
A telefonia vomita a recente crise de valores na bolsa e combustíveis! Vou almoçar a pé
O estômago entra em colapso, ... uma crise de cólicas. O entendimento é generalizado, por um ou outro alimento. Uma sopa, pois o esturjão beluga e o seu precioso recheio, atravessa uma crise de existência. Fuck! 
Acabei a camisola, e a fome é a mesma de á pouco! 
A crise toca-nos, e temos que reaproveitar os recursos que temos á mão: lutei contra a crise! Fiz uma nova camisola! É o que alimenta o mundo.
Não há safa, nem vacina, nem imunidade possível... tenho que me atirar de cabeça para a crise!



8 comentários:

El Matador disse...

A crise é omnipresente e omnipotente.

Sandra disse...

Muito legal seu texto. Gostei..
Nomentos de crises..Somente com carinho e paciencia..
Parabéns pela participação.
Uma roda de amigos bem legal está aqui. vou sentar contigo.

Assim como vc tbém estou na coletiva sobre a crise.
Vou te esperar para compartilhar. As coletivas vão aproximando pessoas.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2012/01/coletiva-tema-crise.html
Vou te esperar.
Carinhosamente,
Sandra

ditonysius disse...

El Matador: Devia ser como um "shot" intragável, ... tipo "o bafo do pescador viking": bater, fazer a aureola, beber, passar ao "gargomil", e já está. Eh eh eh Depois os efeitos secundários... a ressaca! Obrigado!

Sandra: Estamos todos no mesmo barco! Obrigado pela visita!

mixtu disse...

a crise
em são martinho é:
um prato de batatas fritas e um ovo, isto é, sem carne...
e já havia crise (em saõ martinho do porto) em tempo de fartura
jajaja

abrazo serrano

Briseis disse...

Chiça! com tanta crise por aí fora, qualquer dia a palavra deixa de ter valor ou meter medo, de tão gasta!! =)

ditonysius disse...

mixtu: pena não ser um prato de couves de corte, com broa desmiolada e um ovo escalfado ... chamava-lhe um figo. Eh eh eh eh

Briseis: no Verão a palavra estará tão gasta, que só ouviremos os grilos falarem: Cri cri cri cri cri

Catsone disse...

Caro, tanta crise e ainda ter vontade de levantar (mesmo atrasado) já não é nada mal...

ditonysius disse...

Catsone: ... e pesa, pesa, pesa, ...
mas deitar cedo, e cedo erguer (embora atrasado) dá saúde e faz crescer ... qualquer coisa: talvez a vontade de combater a crise. Obrigado