quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Falar com os Santos

Escrevi um comentário a esse ilustre jovem, que muito prezo, Nuno Markl.
Primeiro porque acho que ele merece; segundo porque faz umas rubricas com sentido formativo; e terceiro porque o Nuno e a namorada Galvão Markl, trabalham na emissora nacional, o que lhe dá um aspecto mais credível, dado serem indirectamente meus empregados; e, já agora, não era para acrescentar este item, mas a título de graxista, na quarta posição, lembrei-me.
Bom, neste momento, dá para entender que tudo rodopia na órbita (pequenina) da Galvão, mas o cerne da questão, ou melhor o núcleo vai estar dentro de alguns meses em erupção; mas não irá causar danos de maior (assim espero que não afecte o rapaz na sua criatividade), somente as dores de parto no momento, que poderá dar lugar a essa grande obra literária e censurado o Cancioneiro Nacional e Internacional de Palavrões e Asneiradas. Todos aguardamos que Markl saiba e tire o mestrado em bricolage (essa arte francesa tão nobre), enquanto lhe é possível; porque depois, … consegue também.
Este era o quarto item, e não o quinto mas aqui vai: porque também eu, sou um admirador desses grandes realizadores de cinema (e agora o graxista em apoteose, ou não): Tim Burton, desde que vi á muitas luas atrás, o Estranho Mundo de Jack, que passou no canal Rtp2, numa noite de natal, de 1900 e troco o passo, lá pela madrugada dentro; e David Finscher, pelo tipo de filme e argumento escolhido, “sem nexo mas tudo no sítio”.
Continuo a ler os atigos publicados no blog http://havidaemmarkl.blogs.sapo.pt/, por isso força, "e que a Força esteja contigo" (mais um argumento para ler Markl, ser fã do Star wars).

Sem comentários: