quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Embalo do relógio

00:32 … com um olho no sono, e um ouvido nos filhotes, … comecei a deixar o ar de sentinela, e saltei para uma opção Zen, … mais descontraída, … relaxada, …
(…) algo me importunava, … o olho, não havia maneira de se pregar ao travesseiro, … e o ouvido mantinha frequência aberta com o mais pequeno; o remexer no colchão, a chucha que mamava, a agitação de um sonho menos alegre, o transformar do sonho num choro, …
…arrebatei as mantas, e saltei pronto, … embora semi-nu, engalfinhei-me, sentindo os músculos contraírem-se um a um, … voei para o quarto de pequeno.
“Então?” sussurrei … “… a ´peta, … (buááá)” de olhos cerrados sentado, chorando me gritou…
Palmilhei cada cm² do colchão, e a sossega do sono, não aparecia, … já intrigado, e engadanhado com o frio, remexi por baixo da almofada, com o desespero do sono que se intrometia … lá estava ela quieta, aguardando a visita de alguma fada, talvez.
Devolvi-a ao legítimo dono, e o desespero deu lugar á bonança, … aconchegou o corpo, ajustei-lhe as mantas, … deixei-o no seu fantástico sonho, …
01:07 … corpo novamente de regresso á caminha, … a temperatura ambiental, sacudira-me totalmente, contraindo-me, … o corpo, voltava á sua forma relaxada; agarrei-me á esposa, de forma a usurpar algum calor, que teimava em não aparecer, … e tudo devido ao ponto fraco que me importunava, e não reparara antes, … o dedo polegar do pé estava, quase no estado de criopreservação, …esse malandro roubou-me o sono, … hoje faz-me falta, …
02:36 … estou tentado a ligar, para alguma empresa cerâmica das redondezas, para ir aquecer este dedo, junto á tremunha do alimentador de serradura do forno, … tenho que me distrair: contar ovelhas que saltam o cercado de pedra, mas só penso na ovelha Choné, e uma só não dá resultado, só dá galhofa; criar palavras com a inversão dos números do relógio “LESO = 02:37, … OSSO = 05:50, … SOLO = 07:05” …
07:05 … berra o despertador, … de pé; … agora já está quente, mas tens que ir trabalhar, … a reter para o próximo sono: casa quente, pijama completo, botija de água quente, chupeta suplente á mão, e deixar de brincar com o despertador a criar palavras, …

1 comentário:

mixtu disse...

um embalar que não embala

e há sempre um berro de um despertador...

que nos desperta... e quando chove ou a noite não foi facil... convinha que não fosse necessario que houvesse despertador...

abrazo serrano