segunda-feira, 14 de junho de 2010

Desarborização amazónica

Sábado! O dia do descanso, da casa, ... que isto de não ter condomínio, obriga-nos a pegar na enchada, escovão, mangueira, carro de mão, fouce, ... enfim dobrar o coirão, ou vergar a mola. Tarefa de hoje, ... engalanar o jardim das traseiras da casa, com uma sugestão zen. "Vamos colocar aqui o alguidar, a meio termo: meia sombra, meio abrigado da brisa, ... as espreguiçadeiras ali, o chapeu acolá, e os seixos do rio aqui á volta, assim não há lixo, nem folhas de árvores, nem bichos a infestar a água." ouvindo a esposa e concordando com o projecto apresentado... comprei a tela, apanhei pedras de diversos calibres, preparei as luvas e os utensílios de bricolage, ... "Mas primeiro lavamos a cara, depois há tempo para o cabelo!"
Entendi! Primero o jardim á frente da casa, depois o futuro espaço zen. A esposa transbordava de genica; a tarefa prometia ser árdua... o capim e a flora existente, fazia inveja de longe, ao pulmão da terra. Lembro-me do professor de história do 8º ano, comentar a difícil tarefa que os bandeirantes tiveram, para rasgar caminho pela virgem floresta amazónica. "O que temos para desbastar e pôr cobro a este matagal?" perguntou a esposa, vestindo a t-shirt ...
Ora deixa cá ver, ... catana, não tenho, ... uma enchada, um foução, um corta-sebes, ... "Vou a casa da minha mãe, pedir o corta relvas!" sugere a esposa, agarrando no carro...
A hora do calor aperta, ... a sede acompanha-o, ... vejo as ervas altas a mexer, e um esforçoso motor ao longe que vai abatendo esta densa floresta, ... "Está cheio!" corro para a esposa, pelo meio do trigal, milheiral, ou feijoal, ou o que seja,  para ir despejar o cesto do corta relvas, ... repito por mais, ... 7, 10, 12, 99, perdi o conto, ... talvez infinitas vezes, ... perdi mesmo o conto, e as pernas indicam mesmo, infinitas vezes.
"Só falta mesmo, lavar o passeio e está feito!" deixando a máquina devastadora, agora calma e surda, ...
Mangueira, vassourão, pá, ... e toca de escovar, todas as pedrinhas da calçada, arrancar todas as ervas danadas e daninhas, que esburacam o passeio, e apanhar todo o lixo ... eu com securas, e o anseio da desgraçadinha duma água fresca da Leça do Balio que andesse por aí perdida, ... mas nem sombras, nem viva alma, e o vento está de Ourém, não se ouve aqui ninguém.
"Vou dar banho aos miúdos!" dirigindo-se para casa, com o filhote pela mão, ... entendi, ... acabou; finalmente acabou, ... pffffff
Guardo todos os utensílios da desflorestação e limpeza, ... não reconheço a casa! Definitivamente a esposa tinha razão, ... "...parece que regressamos, e estamos a deixar a casa nos trinques!"
Já me arrasto, ...  vou tomar um belo de um banho quente, e também fazer a barba, ... e saciar o coirão, com uma mine, ... no espaço zen. Raios! Tem que ficar para a próxima!
"Próximo passo: montar o alguidar, e lavar todos os anexos!" dizia-me enquanto secava os filhotes ...
Estou feito, com os Sábados ...

Sem comentários: