quinta-feira, 10 de março de 2011

XiX

"Senhor! Julgo não conseguir, executar a minha missão!" disse pelo auscultador, ... do outro lado, a serenidade deu lugar ao acentuar do tom de voz ... "E porquê?" respondeu...
A linha mantinha algumas interferências estáticas, e o pulsar rápido, duma chamada de longa distância ... "Este temporal rotineiro, ... não deixa prosseguir! A adversidade é enorme!" lamentei ...
"E acha que a sua missão, é adversa?" ... indagou ... "O que me prometeu, ao tomar esta missão, como sendo exclusivamente sua?" ... silenciou-me. Passei a mão pelo rosto, que retinha algumas gotas de chuva que resistiam ... olhei para a mão esquerda ... uma aliança, de ouro solitário, ornamentava o dedo anelar ... brilhava entre lama, óleo, tez da pele, ... "Consegue, ou não? Responda!" interrompeu a minha fixação ... "Já atravessou calamidades bem piores, ... já sacrificou o seu orgulho, ... já atravessou vales de combate e deixou os seus despojos, ... já está nesta luta há 19 anos! Nesta missão, lucrou com os seus dois maiores tesouros!" caí em mim ... "Limpe as suas asas soldado. Isto não passa duma chuva "molha-tolos", um cacimbar suave, ... a sua missão continua! Ela espera por si!"
O telefone recolheu ao descanso, com um sonoro "tu-tu-tu-tu-tu" ... consertei o boné. Olhei para o relampadejar  que iluminava o céu rasgado de nuvens cinza pesadas. Pus a mão na sacola de cabedal , que sustentava a tiracolo... o coração batia fervorosamente ... acomodei-o junto á paixão, e enrolei-o no desejo.
As saudades do olhar amêndoa sol, apelavam ...
Atirei-me ao temporal...
...
"O que acha milorde?" ...
Serenou o telefone, no descanso, ...
Coçou o queixo, e a sua longa barba branca, ..." Acho que me podes trazer o cachimbo, o tabaco de aroma a canela, ..." acomodando-se na sua poltrona de pele Victoriana marron, junto ao crepitar da lareira, que o iluminava ..." acompanha-me um copo de vinho tinto do Alentejo; ... traz-me uma torrada de pão grosso, barrada com alho e tomate, pincelada com azeite da Serra, salpicado com orégaõs; o amor desperta-me o ócio ..."

1 comentário:

Pedrasnuas disse...

Aqui também há um milorde?

Obrigada pela visita

Um abraço deste outro canto