terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Nicolau matreiro (e a fada dos dentes "Express" IV)

Ouvi um barulho de remexer com eco de fundo. Palpei e peguei na arma que tinha á mão: um "crok" branco! Deixei o vale das mantas, levantei-me de tronco nu e sorrateiro, pé ante pé, atrás da minha sombra e de arma segura em punho... Fisguei a sala, e o vulto irritado deambulava praguejando em silêncio: "Fuck! Fuck! and Fuck again! It´s so late!" 
Liguei a luz, ostentando o "crok" branco, apanhando o desprevenido em falso: "Pare! ... e mãos bem visíveis!" O vulto atónito, de capacete de cabedal vermelho e suas lunettes  motard, barba de várias décadas branca, kilt escocês de padrão xadrez preto e vermelho, t-shirt "I love to Rock X´mas" vermelha de pintas encarnadas, botas dr. Martin, gentilmente levantou as mãos vestidas de luvas brancas; os braços denunciavam biceps trabalhados de ginásio; "Laponia mum's love", "Mary´s X´mas" e a face de riso macabro de Jack Skeletton, eram as tatoos que o ornamentava! "Calma! Vim só deixar os presentes! Não quero criar problemas!" disse-me ... Segredei para mim, caindo numa hipotética realidade "Estou feito! A testosterona vai suprimir a minha existência da face da terra, com tanta pancada que eu vou encartar nas trombas!" Um autentico armario de classe XXL! O "crok" fugiu-me da mão, deixando-me por minha conta e risco! "Quem é o senhor?" Questionei com algum temor... 
"Quem eu? Não dá para ver?" Olhando estupefacto para si mesmo! Estendeu-me a mão "Nicolau! ... Muito prazer! Embora muita gente me trate por Santa Claus!"
"Mas o que faz aqui?" lançando a questão sem fé... "Oh amigo! Que noite é esta? Que horas são?" Cocei a cabeça "Bem! É véspera de Natal! E são 23:57!" Respondi convicto... "CERTO! Ding ding ding! Muito astucioso sem dúvida!" Elevando os enormes braços num aleluia aclamado aos céus. "Mas não será tarde demais, para visitar todas as casas?" Perguntei. 
"Bom! Realmente saí de casa eram 23:56! Esta é a ultima casa na Europa... Ás 23:57 estou no Americano, 23:57 na Asia, 23:57 na África, e 23:57 na Oceania, e por ultimo para fechar com chave de ouro, tenho reserva em Vanuatu, num resort!... Fuma?" puxando um Coribas de cuba, enrolando-o entre o nariz e a barba, sugando o aroma característico duma pausa! "Agora não! É meia noite..." parando o manusear do charuto... "Perdão! 23:57 para ser exacto!" Interrompendo-me e consultando o seu Breitling ... 
"Vai uma bolacha?" Ofereceu-me o aroma a canela chocolate do prato, que eu deixara na companhia do copo de leite branco e do pinus pinaster verde, "Eu gosto é de um panado, entre duas folhas de alface, uma rodela de tomate e duas fatias de pão integral simples... e o remate de um copo de gasosa Sepol com Groselha a tingir, ou também me contento com um tinto Alto Alentejano!" frisei as sobrancelhas, pelo meu esquecimento! "Não tem importância! Combinamos para a próxima visita!" Dando uma palmada nas costas. 
"Eh pá! 23:57! Tenho que me por de frosques! O tempo urge! Fuck!" batendo os calcanhares militarmente dando o sinal de assunto resolvido. "Por falar em visita, tens ai alguém a porta!" e sorriu... 
Dirigi-me á porta... "O que faz aqui?" 
"Vendo enciclopedias, ó Einstein!" disse-me em tom irónico, colocando as mãos na cintura... Reconheci a figura esguia e franzina, com as sete saias nazarenas vermelhas, meias meia perna de lã vermelha, de botas cardadas alentejanas, casaco curtinho de pele vermelha, com fita vermelha cetim a rematar cabelo preto curto "Aproveitei a boleia do Nicolau!" indicando para a Night Rod vermelha metalizada estancionada sobre a calçada. "A tua filhota tem algo que me pertence: um pré-molar!" confirmei num aceno de encolher de ombros ...
Voltei para dentro para intercalar o Nicolau... Mas já estava de saida com a sua sacola de pele. "Amigo! Esta converseta estava agradável, mas o resort aguarda-nos! Não é ragazza?" Apalpando com um sorriso manhoso a fada dos dentes, que fora num pé e viera noutro "Já tens o que querias?" Acenou num consentimento sorridente e matreiro, ... "23:57! Let's go baby! Que a noite é nossa! Oh oh oh oooooh!" montando a endiabrada Harley, com a sua pendura. A igniçäo abriu o caminho de estrelas que semeava a noite. Semi rodou o pulso, e o motor respondeu á ordem, sem restrição, ... rugiu e saltou para a noite! O rasto desvaneceu-se atrás do luar! 
"Fuck! Quem diria!" falando para os meus hipotéticos botões... 
"O que fazes aqui fora nesta noite, e com este frio?" pergunta-me a esposa, resguardada por uma manta polar vermelha ... olho para o relógio ... 00:08!
"É Natal amor! Feliz Natal!" um beijar e entramos para o calor! Os presentes residiam junto ao pinus pinaster que pisca em tons cromáticos pscicadelicos ...
"Que cheiro a tabaco é este? Estiveste a fumar?" ... Ele esteve aqui!

1 comentário:

Abrenuncio disse...

ehehe.Gostei deste Nicolau Motard. É mais bem disposto que o clássico. Ainda por cima tem ar de quem anda a dar em cima da Fada dos Dentes.

Continuo a não receber as actualizações deste blog. Serei só eu?