sábado, 2 de maio de 2009

Felis silvestris catus

Após algumas conversações, de completo e unânime acordo familiar, e a pedido de alguns membros e vontades familiares, sentimos a coragem e bravura de adoptar uma Felis silvestris catus; branca neve esgazeada; mancha mesclada que tinge a orelha direita; rabo preto, como que molhado sem cuidado num tinteiro, até ao meio; olho azul limpo e cativante; bigode e nariz emproado – a Kitty.
“ Pai! È preciso uma cama quentinha, uma caixa para a areia, um maceiro, coleira insecticida, areia, papinha,...” relembrava-me a filhota, lendo alto e em bom tom, a lista A4 que me parecia infindável, rabiscada com marcadores verdes e amarelos seguindo o grau de importância ou simples embelezamento, de apetrechos para a nova inquilina, a caminho de uma superfície comercial.
Compras feitas, vem a instalação: onde colocar esta inquilina, sem atingir pontos sensíveis da família, e do novo ocupante, de modo a vivermos numa harmonia de compreensão?
Caixa de areia, azul com acabamentos do rebordo a laranja, colocada a um canto da cozinha junto á porta de saída, meia cheia com uma areia, perfumada com um odor, sem cheiro; maceiro de duas pias, azul; cama de verga, protegida com tecido vermelho e padrão canídeo, estufado; saco de ração de sabor a pescado, latas de alimentação com patés de coelho, frango e atum, devidamente acomodados e inacessíveis á mão da inquilina e ao filhote, que ainda persiste com a ideia de desarrumações desnecessárias.
Com pompa e circunstância, fomos retirá-la do seu leito materno; colocámos a coleira insecticida, de modo a exterminar e afastar durante algum tempo, nefastas pragas que se venham a desenvolver durante esta época primaveril.
… E agora a tarefa mais árdua: o domesticar da raça; que trabalheira vai ser. Eu imagino o trabalho que os nossos antepassados milenares, os egípcios, tiveram para domesticar tamanhas feras… Ah! Ok! Eles já sabem que a caixa da areia é para as necessidades, o maceiro tem a ração e a água, e um sítio fofo e quentinho é para ronronar. Afinal, é mais simples, do que me parecia.
Bem-vindo gato…

1 comentário:

mixtu disse...

Ora só faltava o gato...
só é pena ele não contribuir para a renda...
yayayaya

abrazo europeo