terça-feira, 23 de julho de 2013

O rato, e a "Avó Tira Dentes".

A etapas tantas da vida, as modificações, vão surgindo...
O dia, a vida. os amigos, a fisionomia, o saber, o paladar, a moda,  ... crescer!
O "grandão", impaciente, vinha de há uns dias para cá, importunado... duas "favolas", que resistiam á ocupação estratégica e barbara de dois fixos e permanentes. Mexia, remexia, empurrava e puxava, mas a lutas tantas, começou a deixar o assunto para outras instâncias superiores.
"...O avô, agarrou-me, pegou num alicate, e ... zás!" disse rindo-me, de algo pelo qual chorei, outrora ... comecei a expor-lhe factos da mesma etapa, ... infâncias; contudo, o seu olhar desconfiado, pediu-me que repensasse noutra estratégia para atingir meios e fins, e melhor ainda, fechasse a matraca, de relatos bárbaros!
Deixei o tempo, exercer o seu forte e lento poder.
(...)
"Grandão" vamos para casa?" agarrando nas suas tralhas, que deixara em casa dos avós... carrinhos, livros, puzzles, ... um pandain.
"Olha pai!" todo emproado, apontando com o indicador para uma saliência do maxilar inferior, ...completamente escancarado e exposto. Na mão esquerda, uma rama de algodão, protegia os dois marfins de leite.
"Como aconteceu, moço?"
Relatou com pormenor, as falcatruas e voltas da avó "Tira dentes", para atingir o seu ímpeto.
"Bravo!" finalizei...
"Vou guardar estes dentes para o rato, não para a fada!" conversa de machista, supus ..." o rato, é para os meninos, sabias?", mais parvo fiquei..."Não! Não sabia!" respondi, arrependendo-me de não ter consultado préviamente, o "Almanaque do Fantástico 2013".
"E o que faz o rato, diferente da fada?" questionei...
Encolheu os ombros... "Nada!"
"Deixa um doce, e uma moeda, para quem se porta bem!" num relato lavado de sorriso traquina...
O sono demoveu-me, da minha vigília, ... uma das armas mais cruéis, deste roedor.
Ficarei atento á próxima investida...

Sem comentários: